VIDA NA AMERICA

O Navio-Hospital USNS Comfort chega para ajudar o sistema hospitalar de Nova York

Com capacidade para mil leitos, o navio-hospital da marinha americana chega para ajudar o sistema hospitalar da metrópole

No último dia 30 de março o famoso e enorme navio-hospital flutuante da Marinha dos Estados Unidos atracou na Ilha de Manhattan, na cidade de Nova York. O USNS Comfort foi enviado para ajudar a desafogar os hospitais da cidade, que se encontram sobrecarregados com os pacientes que estão com Covid-19, doença causada pelo novo Corona Vírus, que se transformou em uma pandemia, fazendo diversas vítimas no mundo todo nos últimos meses.

Com uma estrutura que oferece mil leitos e 12 salas de cirurgia, o navio vai receber pacientes que precisam de outros tipos de atendimentos, aliviando a pressão dos hospitais, que poderão aumentar a capacidade de internações dos pacientes com Covid-19.

O USNS Comfort esteve em Nova York pela última vez, após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, para ajudar nos cuidados das vítimas da maior tragédia da história dos Estados Unidos. Antes de chegar na metrópole esta semana, o navio estava passando por uma manutenção em Norfolk, na Virgínia.

O trabalho que levaria semanas para ser concluído, conseguiu ser finalizado em 8 dias pela Marinha, juntamente com o Corpo de Engenheiros do Exército e o Departamento de Estado, de acordo com as informações passadas pelo prefeito de Nova York, Bill de Blasio.

Sobre o USNS Comfort

O navio existe há mais de 40 anos e foi construído pela National Steel and Shipbuilding Company, na cidade de San Diego, estado da Califórnia, no ano de 1976. Não começou como um hospital, mas como um super petroleiro da classe San Clemente chamado SS Rose City. Foi comprado pela marinha americana em 1987, junto com outro super petroleiro, com a intenção de serem transformados em navios hospitalares da classe Mercy. O outro navio, o USNS Mercy, atualmente tem sido implantado na Costa Oeste do país.

O USNS Comfort passou a ser usado para apoiar campanhas militares e crises humanitárias no exterior, assim como no alivio de terremotos e furacões. Já esteve atracado no Haiti por duas vezes, uma em 1994 e em 2010 após a devastação de Porto Príncipe, capital do país, causada por um terremoto de magnitude 7.

Também já esteve no Golfo Pérsico por diversas vezes ao longo dos anos. Já foi implantado também perto do Kuwait e da Arábia Saudita em 1990, atendendo cerca de 8.700 pacientes, com 2.100 aterrissagens de helicópteros e 337 cirurgias. Em 2002, durante a invasão do Iraque pelos EUA, o navio também estava presente na região.

Nos EUA, o navio também já ajudou em vários desastres, além do ocorrido em 11 de setembro. Em 2005, esteve em Nova Orleans e no Mississipi após o furacão Katrina devastar a região. Ajudou também a tratar dois mil pacientes por duas semanas no Golfo do México.

Recentemente estava sendo utilizado na América Latina, ajudando países que não possuem estrutura adequada em seus sistemas de saúde.

Estrutura do USNS Comfort

Todo pintado de branco, com várias cruzes vermelhas acentuadas, o navio teve sua aparência projetada para destacar sua finalidade e proteger sua tripulação e carga contra os ataques de inimigos. Os navios-hospitais são protegidos pela Convenção de Genebra (série de tratados realizados em Genebra, na Suíça, que definem as normas para leis internacionais relativas ao Direito Humanitário Internacional) se eles não portarem munições ou armas. Qualquer país que atirar em um desses navios é acusado de um crime de guerra internacional.

O USNS Comfort tem cerca de 30 metros de altura e 272 metros de comprimento. Tem um calado bastante profundo, capaz de deslocar 70.473 toneladas de água, e isso faz com que ele geralmente fique a pelo menos uns 1,61 quilômetros de distância da costa. Sua velocidade é de 17,5 nós (20,1 mph).

Os mil leitos que o navio possui são distribuídos da seguinte forma: 500 são destinadas para necessidades mínimas de casos, 400 para casos considerados intermediários, 20 para pacientes que estiverem em recuperações cirúrgicas e 80 para pacientes em terapia intensiva. Sua estrutura arredondada e de casco grande foi projetada para ganhar estabilidade nos procedimentos intensivos, como cirurgias que necessitam ser realizadas em alto mar.

As instalações médicas do navio contam também com uma clínica odontológica, quatro aparelhos de raio-x e um tomógrafo, um laboratório de optometria, um par de plantas produtoras de oxigênio e refrigeradores capazes de armazenar 5.000 bolsas de sangue. Outros serviços que fazem parte do USNS Comfort são o depósito de suprimentos médicos e uma farmácia bem abastecida, além de uma grande lavanderia, o próprio necrotério, um laboratório de satélites e uma área central para recebimento infértil de causalidade.

O navio possui ainda um grande heliponto, capaz de receber helicópteros de nível militar, além de ter capacidade de receber pacientes de outros navios ancorados próximos a ele. Dentro de 5 dias o navio consegue ser totalmente ativado e tripulado.

Nova York é o epicentro do novo Corona Vírus nos EUA

O prefeito agradeceu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pelo envio do USNS Comfort, mas disse ainda que precisará de mais ajuda vinda de Washington, capital do país. “Pedi ao presidente, ao governo federal, que nos fornecesse 400 respiradores o mais rápido possível. Um em cada 4 casos americanos está aqui, avisamos, eles tiveram tempo, agora é necessário que encontrem”, afirmou Blasio.

Hospitais de Campanha estão sendo construídos em pontos estratégicos de Nova York, para ajudar a atender a necessidade médica da cidade. Um no Central Park, terá capacidade para atender 68 pacientes. Outro posto médico foi montado no famoso centro de convenções Javits Center, com capacidade para mil leitos, podendo ainda aumentar para 2 mil leitos, tudo para desviar a sobrecarga do sistema hospitalar da cidade.

Nova York se tornou o epicentro da pandemia no país, representando mais de 40% de todas as mortes até o momento. São mais de 36 mil casos confirmados da doença e 790 mortes, só na cidade. No estado, as mortes já passaram de 1.218 e o número de infectados já chegou a 66.497 pessoas.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de casos confirmados no mundo inteiro, com cerca de 160 mil casos e quase 3 mil mortes. Ultrapassando a Itália, que até então era o país com mais casos de Covid-19, desde que a doença começou a se espalhar fora da China. Diante dessa situação emergencial, Donald Trump estendeu as medidas restritivas no último domingo, as recomendações de confinamento e isolamento social devem durar até o final de abril, para impedir que o novo Corona Vírus se propague mais ainda no país.

Veja também:

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar