BUSINESS

Como funciona as Taxas da Alfândega Brasileira

Entenda as Taxas da Alfândega dos Correios em produtos importados e para compras no exterior

Antes de viajar para os Estados Unidos e fazer suas compras durante a viagem, você deve saber como funciona a tributação na alfândega. Tudo o que você comprar nos Estados Unidos, deverá passar pela alfândega no aeroporto. Já deixaremos claro que a intenção desse artigo não é ensinar a burlar a regra da alfândega, e sim explicar como funciona as compras no exterior e como funciona a tributação. Tirando as suas dúvidas, você conseguirá aproveitar melhor suas compras, ciente das regras de tributação.

Quando o viajante volta da sua viagem e chega no aeroporto brasileiro, terá que passar pela alfândega. Ao passar pela Receita, terá que tomar a decisão entre duas filas: a verde e a vermelha. A verde diz “nada a declarar” e a vermelha “bens a declarar”. Na fila verde, os oficiais da alfândega escolhem pessoas aleatórias para conferir se estão mesmo sem bens a declarar, caso estejam com bens, será pior do que entrar na fila vermelha. A fila vermelha é para quem já sabe que fez compras e precisa declarar os objetos antes de sair do aeroporto.

Só posso trazer US$500 dólares em compras da viagem para os EUA??

Não! Você pode trazer quantos dólares em compras você quiser. Mas você tem US$500 dólares de cota para fazer as suas compras sem tributação. Compras até US$500 dólares estão livres de imposto. As pessoas confundem essa regra.

Lembrando: dentro desses US$500 tem três itens que são considerados pessoais: 1 relógio, 1 smartphone e 1 câmera fotográfica. Tudo além disso que você comprar é tributável. Então se as suas compras não passarem de US$500 dólares, você não pagará nenhuma taxa. Mesmo comprando 1 relógio, 1 smartphone e 1 câmera fotográfica além desses US$500, ainda não pagará nenhuma taxa. Depois disso você começa a ser tributado.

Regras

Tudo o que você comprar no exterior não pode ultrapassar um limite. Se a viagem for via aérea (ou marítima) não poderá ultrapassar US$500.00. Se for via terrestre (lacustre ou fluvial), não poderá ultrapassar US$300.00.

É calculado da seguinte maneira: 50% de impostos de importação sobre a bagagem que exceder o limite da isenção. Exemplo: US$ 1500,00 (valor do bem) – US$ 500,00 (cota de isenção) = US$ 1.000,00 * 50% = US$ 500,00 de impostos a ser pago.

Além de respeitar esse valor, o viajante também deve respeitar os limites de quantidade. Se for um produto de valor acima de US$10.00, então só poderá ser 20 unidades dele. Entretanto, não pode haver mais que 3 unidades iguais. Se o produto valer menos que US$10.00, só poderá ser 20 unidades dele com no máximo 10 repetidas.

Alguns produtos, entretanto, têm suas próprias regras:

  • Bebidas alcoólicas, no máximo 12 litros;
  • Cigarros de fabricação estrangeira, no máximo 10 maços;
  • Charutos ou cigarrilhas, 25 unidades; e
  • Fumo somente 250 gramas.

Produtos isentos de impostos

Além de livros, folhetos e periódicos, produtos de uso ou consumo pessoal como máquina fotográfica, um celular e um relógio de pulso (uma unidade de cada), roupas, calçados e acessórios ficam fora dessa regra. Produtos esses que são usados na viagem.

Roupas e objetos pessoais, devem ser equivalentes a viagem. Por exemplo: se for uma viagem de uma semana, não deverá ter peças de roupa que dariam para um mês. Ou ter casacos de frio na mala se a viagem foi para um lugar quente.

Computador e iPad novos, notebook, tablet ou filmadora serão tributados, já que não são considerados “de caráter manifestamente pessoal”. Se for parado na alfândega, terá que provar a origem desses bens. Seja comprado no Brasil ou no exterior, precisará da nota fiscal. Se com esses objetos ultrapassar a cota, terá que pagar o imposto ou tê-los confiscados.

A decisão entre as filas

Ao chegar no aeroporto, os procedimentos são: passar pela Polícia Federal, pegar sua bagagem na esteira, comprar no Duty Free Dufry (opcional) e passar pela Receita Federal.

Quando passar pela Receita, terá que escolher entre duas filas: a fila verde Nada a declarar e a fila vermelha Bens a declarar.

Fila verde – nada a declarar

Essa fila indica que os produtos na sua mala estão dentro da cota e que não é necessário pagar nenhum imposto. Mas os fiscais escolhem pessoas aleatórias para passar no raio-x.

Se escolher essa fila, duas coisas podem acontecer: passar direto, sem o fiscal olhar sua bagagem e ir para a área de desembarque. Ou ser parado (escolhido aleatoriamente) e encaminhado para o raio-x.

Se for parado, encaminhado para o raio-x e o fiscal julgar tudo certo, então será liberado sem precisar pagar imposto. Mas se o fiscal desconfiar de alguma coisa, suas malas serão abertas e fiscalizadas manualmente na sua presença.

Caso esteja tudo certo, será liberado. Mas se tiver alguma coisa que deveria ser taxada, além de pagar as devidas taxas, ainda pagará multa por ter entrado na fila verde (sendo que deveria ser a vermelha).

US$ 1500,00 (valor do bem) – US$ 500,00 (cota de isenção) = US$ 1.000,00 * 50% de multa = US$ 500,00.

Se a multa for recolhida nos primeiros 30 dias, o valor será reduzido para 25%, neste caso US$ 250.

Fila vermelha – bens a declarar

Essa fila indica que os produtos na sua mala devem ser declarados. Neste caso, será necessário preencher um formulário (entregue no avião), se não o tiver, o procure antes de passar pela fila.

Pagamento dos impostos

É possível que o valor seja pago em real, dólar ou cartão de débito. Após o pagamento, o viajante receberá um documento oficial e estará liberado para ir embora.

Produtos eletrônicos devem ser declarados mesmo estando abaixo da cota, para que entrem legalmente no país.

Outros produtos abaixo da cota podem ser declarados sem pagar o imposto. Assim, terá um documento de comprovação para futuras viagens.

Declarar x não declarar

No caso de o viajante declarar suas compras como deve ser feito acontece assim. A taxa a ser paga será de 50% sobre o valor excedente. Ou seja, vamos supor que as suas compras chegaram a US$1000 dólares e você precisa pagar a taxa. As suas compras são de US$1000 dólares mas você tem uma cota de US$500 dólares. Ultrapassou apenas US$500 dólares da cota, certo? Então você pagará de taxa 50% de US$500 dólares que foi o valor excedido. Nesse caso, em uma compra de US$1000 dólares, a tributação será de US$250 dólares. Você gastará ao todo US$1250 dólares, suas compras + a taxa.

Se o viajante não ultrapassar a cota, ele deve mesmo assim entrar na fila vermelha e declarar seus objetos, principalmente se forem eletrônicos, para que entrem legalmente no país e e se tenha um documento de comprovação para futuras viagens.

Se o viajante passar na fila de quem não tem nada para declarar, e for pego pela alfândega, ele terá que pagar 100% sobre o valor excedido. Usando o exemplo acima, ele teria o gasto de US$1000 dólares em compras + US$500 dólares de taxa, totalizando um gasto de US$1500 dólares.

Ipad e notebook são considerados itens pessoais? São isentos de imposto?

Não. Esses itens não são considerados itens pessoais. Os únicos itens que são considerados pessoais são os citados acima, 1 relógio, 1 smartphone e 1 câmera fotográfica. Tudo que você comprar além disso vai entrar na sua cota.

É possível juntar a cota de duas pessoas para comprar um item mais caro?

Não também. A cota é pessoal! Ainda usando o nosso exemplo de US$1000 dólares, se você quiser comprar um único item que seja desse valor e dividir esse gasto em duas cotas, saiba que não é possível. A boa notícia nesse caso é que todos tem direito a cota, inclusive um bebê. Então objetos de menor valor poderão ser distribuídos pelas cotas de todos no grupo, desde que seja adequado ao perfil do viajante! Um bebê por exemplo, não poderá ter em sua cota um liquidificador porque não é condizente com o uso dele. Mas roupinhas, brinquedos, tudo pode chegar até US$500 dólares. Uma dica é comprar brinquedos nos EUA, são muito baratos! E esses brinquedos entram na cota da criança, e não na dos pais.

Já que é item pessoal, eu posso trazer um smartphone novo na caixa?

Hoje o entendimento da Receita Federal é que para ser considerado um item pessoal, o objeto precisa estar aberto, fora da caixa e em uso. Isso não te impede de guardar a caixinha na mala para guardá-lo posteriormente, mas para passar pela alfândega o smartphone deve estar fora da caixa. Isso se dá ao fato de que um smartphone lacrado na caixa pode muito bem ser vendido, e se é um item pessoal, deveria estar em mãos.

É lógico que todas as regras da alfândega e tudo o que você vai trazer, vai depender da interpretação do fiscal da Receita Federal. Ele conhece todas as regras e vai poder ou não querer abrir a sua mala para ver todas as coisas. Então é importante você conhecer as regras para conversar com alguém que também conhece e garantir que está tudo dentro do limite.

Agilize o processo!

Você pode fazer a declaração de bens online até um mês antes de viajar de volta ao Brasil. Entre no site Declaração Eletrônica de Bens do Viajante (e-DBV) e registre as suas compras durante a viagem. Caso a cota de US$500 dólares seja ultrapassada, já será possível pagá-la via internet banking ou cartão de débito. De qualquer forma, também tem a opção de declarar da forma convencional no aeroporto.

Lembre-se que para entrar nos Estados Unidos você irá precisar de um Visto Americano. Se for passear e fazer compras, solicite o Visto de Turismo.

Perguntas frequentes

É possível juntar cotas para compras feitas no exterior? 
Não, a cota é pessoal e intransferível.

As normas são as mesmas nas compras realizadas em duty free e free shops?
Se a compra for realizada no momento do embarque no Brasil, obedecerá a mesma regra. Mas se a compra for realizada no desembarque, terá uma cota adicional de US$500.00.
As quantidades de produtos obedecem às mesmas regras, a não ser bebidas alcoólicas que passa a ser 24 litros, e não 12. Já relógios, brinquedos, máquinas, instrumentos elétricos ou eletrônicos é de 3 unidades de cada.

Crianças também tem cota?
Crianças tem os mesmos direitos e obrigações dos adultos. Só não podem portar cigarros e bebidas, mesmo que estejam acompanhados.

Se for pego ficarei com a ficha suja na polícia?
Apenas se cometer algum ilícito penal como contrabando ou tráfico de drogas.

Posso ficar impedido de fazer viagens internacionais?
Não.

O que não pode passar pela alfândega?
Brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo reais; cigarros e bebidas fabricados no Brasil destinados exclusivamente à venda no exterior; agrotóxicos; produtos contendo organismos geneticamente modificados; animais silvestres e peixes ornamentais sem autorização dos órgãos competentes; animais domésticos sem documentação; produtos falsificados; diamantes brutos e substâncias entorpecentes ilegais.

Quais mercadorias são mais apreendidas pela alfândega?
Produtos com finalidade comercial.

Como comprar o mesmo produto sem sair de casa?

No caso citado acima, as pessoas vão pessoalmente buscar o produto no país em que ele está sendo vendido, seja viajando a turismo e aproveitando para fazer compras ou indo especificamente para isso. Mas se você estiver apenas interessado em comprar algo, sem que haja necessidade de viajar para outro país, pode comprar pela internet. Mas do mesmo jeito, esse produto deve passar pela alfândega, porque nada entra no Brasil sem dar uma passadinha na fiscalização.

Quando um produto chega ao Brasil pelos Correios, passa por um longo processo de fiscalização na alfândega brasileira. Ou seja, a sua compra não vem diretamente à você. Antes de chegar na sua casa, ela precisa ser fiscalizada, então todas as caixas são escaneadas para atestar a veracidade do que diz a nota fiscal. Depois, seguem para as fiscalizações específicas. A alfândega é o motivo de todos pensarem e repensarem na hora de importar alguma coisa.

Se for um alimento, produto de origem animal ou vegetal, por exemplo, vão ser analisados pela Regional do Ministério da Agricultura, no caso de medicamentos, passam pelo crivo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Armas ou produtos que ameacem a segurança nacional, Exército. E por fim, todos na alfândega são avaliados pela Receita Federal para saber se os tributos devidos foram cobrados.

Taxação de produtos pela Receita Federal

Quando o seu produto é taxado na alfândega, ele não é encaminhado para sua casa. Ele vai ser encaminhado para uma agência dos correios mais próxima possível da sua casa e você deve comparecer lá para retirar o produto ou pagar pelo Portal do Importador por boleto ou cartão de crédito.

Como saber se fui taxado ou não pela Receita?

Você pode acompanhar o produto pelo site dos Correios com o código de rastreamento. Ou então, você pode esperar receber uma carta dos Correios na sua casa. Eles devem te enviar uma carta em até dois dias que o produto chega na agência. Mas, esperar pela carta não é muito seguro porque muitas das vezes ela não chega. Ela pode ser extraviada. Então, é recomendado acompanhar pelo site dos Correios.

Na carta diz que o seu produto está disponível para retirada, mas sem informações sobre o valor da tributação. Fala que foi tributado, mas você deve comparecer para saber o valor ou então pesquisar no Portal do Importador.

*Se ele não for taxado, será enviado direto para a sua casa sem mais problemas.

Pagamento

É possível ligar na agência dos Correios onde o seu produto foi taxado para saber o valor de imediato. Se informe do valor e leve a quantia para pagar na hora. Quando você for na agência retirar seu produto, o funcionário do guichê irá pegar sua encomenda junto com uma cartinha da Receita informando em quanto o seu produto foi taxado.

Ou você pode usar o Portal do Importador e fazer tudo pela internet. Basta criar um login (processo rápido), colocar o código de rastreamento e olhar como está a situação da sua encomenda. Você conseguirá rastrear, saber o valor da taxação se o produto for taxado, pode optar por devolver o produto ao remetente ou pagá-lo de forma simples e rápida, usando o boleto ou cartão de crédito.

Exemplo:

Alguém foi até a agência e pegou a carta da Receita dizendo que o produto foi taxado em 60% do valor total do produto. O produto estava declarado como US$40.00, eles cobraram 60% em cima dos US$40.00.

Mas o produto é um Smartphone que custa na faixa de US$200.00. Entretanto, o vendedor colocou US$40.00 no selo. Eles fazem isso porque sabem que a taxação no Brasil é muito alta, é uma forma de você tentar reduzir esses impostos. As vezes acaba dando certo. Nesse caso, a pessoa acabaria pagando um valor em cima dos US$40.00 e não de US$200.00.

Porém, se a Receita quiser abrir o seu produto, eles podem! Se for uma verificação não invasiva, eles só checam o valor declarado e tributam em cima. Mas se a Receita quiser abrir o seu produto para checar o que tem lá dentro e se é um produto que realmente bate com o valor declarado, eles podem fazer isso. E se eles entenderem que o produto é mais caro que o valor declarado pelo vendedor eles podem sim taxar em cima do valor que entenderem ser correto (e o correto deles pode ser muito acima do valor). Eles possuem uma tabela e fazem esse cálculo na hora.

Se a Receita abrisse o pacote e achasse que o Smartphone custava em média de US$200.00 ou US$400.00, seria em cima desse valor a taxação.

Como não ser pego pela Receita?

Ser pego ou não pela Receita é sorte. O exportador pode até colocar como gift (presente), ou declarar um valor menor. Essas são medidas que podem te ajudar a não pagar um valor maior, como no exemplo. Mas, se a Receita quiser abrir o seu produto ou taxar um valor acima, eles podem fazer.

Vale a pena uma compra internacional?

É preciso ter consciência se vai valer a pena comprar o produto mesmo com a taxação de 60% em cima do valor integral dele, se vai ficar mais barato mesmo assim. Mas, se ele for ficar mais caro do que comprar no Brasil, a escolha é sua de assumir o risco.

Taxa de despacho postal dos Correios

A taxa de despacho postal dos Correios é de R$12,00. Para pacotes de até 3 mil dólares, o valor será de R$150,00. Os Correios afirmaram que essa taxa é para “cobrir os custos das atividades postais realizadas na nacionalização das encomendas internacionais”.

Casos de isenção

Há 3 casos de isenção para este tipo de compra: medicamentos, livros e periódicos e aquela situação onde é enviada uma encomenda de uma pessoa física do exterior para uma pessoa física do Brasil.

Um presente que a pessoa receba no Brasil, se for ate US$50.00, não vai haver tributação. Quando é uma compra, vai haver a tributação, ainda que seja de US$10.00 ou US$20.00.

Quase 70% de todos produtos comprados por brasileiros vem da Ásia, principalmente da China. Outros 25% vem dos Estados Unidos. Todos eles passam pela alfândega e por isso a maioria é demorado.

Prazo de entrega

O prazo médio de entrega de um produto comprado pela internet desde o clique até a chegada na casa do cliente é de 20 dias. Isso se o produto não for barrado na alfândega em nenhum processo de fiscalização. Mas algumas pessoas esquecem detalhes simples, como colocar o nome completo e o CEP do endereço de entrega. O que também pode provocar atraso, já que os funcionários precisam checar essas informações.

Produtos que são mais taxados na Alfândega

Esses são os produtos mais visados pela Receita Federal:

Roupas de marcas

  • Abercrobie;
  • Aeropostale;
  • Hollister;
  • GAP;
  • Tommy;
  • Polo Ralf Lauren;
  • Lacoste;
  • Armani.

Essas marcas são muito compradas e muito taxadas pela receita. Já que o lucro para revenda é muito grande. Encomendas com roupas em quantidade de até 12 peças (se for camisas apenas) o risco de ser taxado é pequeno.

Perfumes de luxo

  • Paco Rocabane;
  • Polo Ralf Lauren;
  • Caroline Herrera;
  • Dior;
  • Calvin Klein;

Se for importado 1 unidade por vez, o risco de ser taxado é pequeno. Mais que isso, a incidência de taxação é mediana.

Sapatos femininos importados

Os sapatos femininos estão em terceiro lugar dos mais importados pelos brasileiros. Como no caso dos perfumes, se for importado 1 unidade por vez, o risco de ser taxado é pequeno. Mais unidades, a Receita já fica de olho.

Acessórios femininos

Todo tipo de acessório feminino como bolsas, cintos, mochilas, chapéus, coisas pra cabelo são muitos importados pelos brasileiros. A taxação quanto a esse tipo de mercadoria vai depender do tamanho, peso do pacote e valor declarado.

Maquiagens e bijuterias

  • Mac;
  • Victoria Secrets;
  • Aussie;
  • Brincos;
  • Pulseiras;
  • Colares;
  • Braceletes;
  • qualquer outro produto folheado a ouro.

Mesma regra. Se forem importados em pequenas quantidades, o risco de serem taxados é pequeno. Mas, se aparecer uma uma compra grande na alfândega, a Receita irá analisar.

Relógios masculinos de luxo

  • Invicta;
  • Náutica;
  • Casio;
  • Timex;
  • Marc Jobs;
  • Adidas;
  • Ferrari;
  • Nixon;
  • Diesel.

A Receita Federal fica em cima dessas marcas de relógio. Mesmo comprando um por vez, as chances de serem taxados é muito alta! Seria sorte não ser taxado.

Óculos de sol

Os óculos de sol, tanto feminino quanto masculino, podem ser importados até 3 unidades. Mais que isso corre o risco de ser taxado.

Suplementos

As compras devem ser pequenas, de até 3 libras. Assim será menos visado pela Receita. Mais que isso, já é bom ficar de olho no bolso.

Aparelhos eletrônicos

  • Smartphone;
  • Tablets;
  • Notebooks;
  • Xbox;
  • Playstation, etc…

Tem crescido o interesse pela compra desse tipo de produto. Entretanto, são muito taxados pela Receita quando passam pela alfândega. Prepare o bolso!

Redirecionamento de Compras

Você pode usar a ferramenta Redirecionamento de Compras. Que é quando alguém do exterior recebe o pacote para você, troca a embalagem e envia como de pessoa física para outra pessoa física (você). As pessoas acabam desistindo de uma compra do exterior, tanto pelos impostos abusivos cobrados pela taxa da Receita Federal nos Correios, ou porque aquele site não entrega no Brasil, como por exemplo Amazon, Ebay, Ralph Lauren, Nike… Muitas pessoas ainda perdem de comprar os melhores produtos pelos menores preços por não conhecer o Redirecionamento de Compras.

Os preços praticados no Brasil são extremamente altos, por causa dos altos impostos e das altas margens de lucro. Além disso, nem sempre são de boa qualidade. Sem contar os produtos importados que nem são vendidos no Brasil. No exterior, há uma grande variedade de produtos com qualidade e preços menores que no Brasil. Produtos como perfumes, roupas, brinquedos, relógios, suplementos, eletrônicos, celulares, peças para carros, etc. Entretanto, muitas vezes os sites de compra, não enviam para o Brasil, frustrando os consumidores.

Nesse caso, existe o Redirecionamento de compras ou redirecionamento de encomendas, que fica entre o seu site de compras e você. Então tanto faz se aquele site do exterior entrega no Brasil ou não, porque o redirecionamento de compras faz essa intermediação. Caso sua compra não possa ser entregue no Brasil, é só usar o Redirecionador de Compras que o problema será resolvido.

Você receberá um endereço nos Estados Unidos para ser o intermediador. Na hora de comprar, você cadastra esse endereço, e não o seu. Assim, sua compra irá para um lugar americano (como o site pede) e assim que ele chegar, você receberá uma notificação. Depois disso é só pedir para que a encomenda seja enviada para você no Brasil.

Vantagens

Uma das vantagens, é que você poderá comprar a vontade, sem se preocupar se o site entrega no Brasil. Já que você terá um endereço americano.

Fretes

Pensou que iria ter que pagar vários fretes? Não precisa! Não tem problema se você comprar várias coisas, de vários sites em variados dias. Você pode juntar todas as suas encomendas em uma única caixa, assim irá pagar um único frete. Na maioria das vezes é uma grande economia!

Dependendo da empresa de Redirecionamento de Compras que você escolher, suas encomendas poderão ser guardadas por vários dias sem custo adicional.

Caixa e envio personalizados

Quando se utiliza o Redirecionamento de Compras, os seus produtos podem ser retirados das suas caixas originais, as que permitem são embaladas a vácuo para ocupar bem menos espaço e tudo é posto dentro de uma caixa menor. E bem mais discreta.

Quando se compra de sites estrangeiros para receber no Brasil, geralmente mandam em uma caixa bem grande com o nome e logotipo da empresa estampado. Assim, quando a Receita Federal avista sua encomenda, sabe que é uma compra e os riscos de taxação são bem altos.

Assim, diminuindo a caixa e não colocando grandes adesivos com nomes e propagandas, é mais fácil de passar desapercebido pela Receita. Este tem sido o grande motivo de tantas pessoas utilizarem o redirecionamento.

Declaração na alfandegária

Quando se utiliza esse tipo de serviço, você é o responsável por colocar preço no objeto. A maioria das pessoas declaram preços menores do que realmente são para que diminuam os riscos de serem taxados.

Compra Assistida

Caso esteja com receio de comprar em um site internacional desconhecido ou não possa realizar a compra pela falta de um cartão de crédito americano, basta dizer o que você deseja e o Redirecionamento compra pra você. Algumas pessoas que trabalham com Redirecionamento, fazem a venda assistida, através de uma chamada de vídeo na loja desejada.

Envio como pessoa física

O envio de pessoa física para pessoa física com valor total (produtos + frete) abaixo de 50 dólares, tem menos risco de ser taxado. Entretanto, não são todos os Redirecionadores que enviam como pessoa física, alguns enviam como pessoa jurídica. Então vai depender da empresa que escolher.

Como utilizar

Cada empresa de Redirecionamento trabalha de um jeito, mas no geral, é só você entrar no site da empresa de redirecionamento. Preencher seu cadastro, com todos os dados solicitados (nome completo, endereço, telefone, etc.). Após preencher o cadastro você receberá seu endereço aqui nos Estados Unidos. Este será o endereço que você fornecerá sempre que concluir suas compras online.

Empresa Transeguro

Transeguro é uma empresa brasileira de Redirecionamento de Compras localizada em Massachusetts nos Estados Unidos, de extrema confiança, seriedade e eficiência. Com um excelente atendimento e ótimos preços. Além do atendimento em português, eles também fazem a compra assistida. Clique aqui e vá direto para o site da Transeguro. Ou visite a página no Facebook.

Ferramenta para calcular o imposto de importação

Caso queira saber em que valor será taxado pela compra de um produto, antes dele passar pela alfândega, você pode calcular. É bem simples, e você só precisa colocar os valores nas caixinhas. Para acessar a ferramenta de cálculo do imposto de importação, basta clicar aqui. Irá abrir esta tela:

Como funciona as Taxas da Alfândega Brasileira

  1. Nas cotações você encontra o valor do dólar atual em REAL (esse valor é atualizado automaticamente);
  2. Nesse local você deve escolher a modalidade de frete;
  3. Selecione para qual estado o produto será enviado;
  4. Digite o valor do produto em DÓLARES;
  5. Depois, digite o custo do frete também em dólares.

Como funciona as Taxas da Alfândega Brasileira

Caso seja taxado pela alfândega em uma compra de US$80.00 com frete grátis sem imposto,custará cerca de R$351,20. Mas, se forem cobradas as taxas de importação, o produto irá custar R$584,33.

VEJA TAMBÉM:

Mostrar mais

2 Comentários

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo