INTERCAMBIO

Como cursar o High School nos EUA

Tudo o que você precisa saber sobre o High School americano

Estudar nos Estados Unidos é o sonho de muitos jovens brasileiros, já que o sistema educacional do país é considerado um dos melhores do mundo. Ao contrário do que muitos pensam, não é preciso ter acima de 18 anos para ingressar em uma experiência no exterior, os adolescentes podem cursar o ano letivo em uma High School nos EUA através de um intercâmbio.

Equivalente ao Ensino Médio no Brasil, na High School além de estudar matérias obrigatórias, o estudante ainda pode escolher aulas extracurriculares para cursar, o que pode ajudar e muito nesse período de estudos fora do país. Outra grande vantagem é que além de estudar em ótimas escolas, o aluno ainda tem a oportunidade de conhecer um novo destino, conviver com uma nova cultura, com pessoas de diversos lugares e de ganhar fluência no idioma mais importante do mundo: o inglês.

Requisitos para cursar o High School nos EUA

Para ter essa oportunidade de realizar esse período escolar nos Estados Unidos é necessário muita organização e alguns pré-requisitos, entre eles:

  • Ter reserva financeira e ser aprovado no visto de estudo no país;
  • O aluno precisa ter entre 14 e 19 anos;
  • Conhecimento intermediário em inglês;
  • Estar cursando ou for iniciar o ensino médio no Brasil;
  • Escolher o período que deseja estudar;
  • Escolher a modalidade do ensino médio;
  • Passar em um teste/ entrevista de inglês para ser aceito em escola do país;
  • Geralmente, todo o processo precisa ser finalizado 4 meses antes do início das aulas no exterior.

Dependendo da escola ou do programa de intercâmbio, outros pré-requisitos podem ser necessários, como a exigência de boas notas na escola brasileira, não ter reprovação por pelo menos 3 anos, estar com a carteira de vacinação em dia e atualizada e a comprovação do nível de inglês intermediário ou nota em um teste de idioma como o TOEFL ou o IELTS.

Visto para estudar nos Estados Unidos

Tirar o visto de estudante para os Estados Unidos é um processo um pouco demorado, mas extremamente necessário, já que você só poderá entrar legalmente no país através do visto americano. O primeiro passo é ser aceito em uma instituição de ensino dos EUA, já que durante o processo de solicitação do visto, você vai precisar comprovar que já tem tudo encaminhado para estudar lá. O tipo de curso que você vai fazer também irá determinar o tipo de visto que deve ser solicitado.

Quem pretende fazer o High School pode optar por dois tipos diferentes de visto: o J1 e o F1, ambos de intercâmbio. O que vai determinar a solicitação de cada um é o tipo de programa escolhido pelo solicitante: o High School Public possibilita os dois tipos de visto, já o High School Private exige apenas o visto F1.

O visto americano de estudante permite apenas os estudos no país, no caso do High School, viagens internas ou internacionais são permitidas apenas se o aluno estiver acompanhado da escola ou da família que o está hospedando. Vale lembrar que viagens internacionais podem exigir vistos e outros documentos específicos para a entrada em determinados países, isso deve ser verificado com antecedência pelo aluno.

Com o visto F1 válido e o formulário I-20 em dia, o aluno também consegue voltar ao seu país de origem para algo específico e depois retornar aos EUA para prosseguir com os estudos. No entanto, o mais indicado é que o estudante viaje apenas durante o período de férias, para não prejudicar a rotina do intercâmbio e seu desempenho, já que o mesmo precisa cumprir uma carga horário de, no mínimo, 18 horas semanais de estudos, para manter seu visto válido.

Como tirar o Visto de estudante?

Para solicitar o visto você vai precisar ter em mãos I-20, principal documento para a retirada do visto americano de estudante. O formulário é fornecido pelas escolas e universidades e deve conter o nome do aluno, país, instituição de ensino que o aluno vai estudar, o curso ou a especialização que o estudante vai fazer no país e o custo desses estudos.

Uma carta de aceitação da escola e documentos comprovando a situação social e econômica dos responsáveis no Brasil, como imposto de renda, extratos bancários, comprovantes de bens e vínculos empregatícios também são necessários para solicitar o visto, além de pagar a taxa SEVIS.  Geralmente o valor que o aluno deve comprovar deve ser de ao menos 16 mil dólares para cursos a partir de um ano de duração e 8 mil dólares para cursos de um semestre.

O recomendado é que o visto seja solicitado entre 60 e 120 dias antes do início do ano letivo escolar americano.

Saiba mais sobre o Visto F1 aqui.

Programas de High School nos Estados Unidos

Antes de começar a se imaginar indo para a escola dentro dos famosos ônibus escolares amarelos que vemos nos filmes, saiba que é muito importante pesquisar as particularidades dos programas oferecidos para quem decide fazer o High School nos EUA. Veja as principais diferenças entre os programas High School Public J-1, Public F-1 e as Private Schools:

  • High School Public J-1

Esses é um dos programas mais populares e tradicionais do High School americano. Tem como principal característica o custo-benefício, já que é o único que conta com o apoio financeiro do governo federal, proporcionando preços mais acessíveis para estudantes internacionais.

Nesta opção de programa o aluno não pode escolher a escola e o estado (e a cidade) onde vai estudar, por isso é fundamental que ao escolher essa opção o estudante esteja aberto ao que vai encontrar pela frente, como os costumes locais e a rotina da região, que pode ser desde uma pequena cidade do interior, ou zona rural, até uma cidade grande e mais próxima das grandes metrópoles americanas. Os custos do programa High School Public J-1 podem custar a partir de US$7.125 o semestre.

  • High School Public F-1

Essa opção de programa é ideal para quem deseja ter mais autonomia sobre o intercâmbio, como escolher a região onde vai estudar e também questões acadêmicas da escola. O aluno indica 3 opções de destino que deseja estudar e morar e a agência escolhida faz o intermédio da matrícula em um desses lugares, de acordo com os pré-requisitos necessários e a disponibilidade de vagas na instituição escolhida.

O valor desse programa acaba sendo um pouco mais alto se comparado com o Public J-1, já que o aluno tem que pagar uma taxa proporcional ao quanto um estudante americano custa para o país. As famílias que recebem os alunos para a moradia também recebem uma ajuda de custo.

Nesse programa o aluno pode estudar por até um ano letivo e caso queira estender o tempo de estudo nos Estados Unidos, deverá se matricular em uma escola particular. Os custos do programa High School F-1 são em média a partir de US$12.050 o semestre.

  • High School Private

Esse é o programa mais personalizado para os alunos que vão fazer intercâmbio High School nos EUA. O estudante já faz sua inscrição baseada em todas as escolhas que ele decidir, desde a cidade e estado especifico até a escola que mais se encaixa em seu perfil acadêmico.

Grande parte das escolas particulares dos Estados Unidos oferece um trabalho de aconselhamento universitário, algumas são consideradas Preparatory Schools, já que acabam preparando os estudantes para uma escolha correta na hora de entrar nas Universidades americanas. Outra vantagem é a possibilidade de cursar todo o ensino médio no país e escolher entre diversas opções, já que existem diversas instituições disponíveis nos EUA, desde cidades pequenas do interior até grandes centros como Los Angeles, Boston e a tão desejada Nova York.

O valor para uma High School Private pode custar em média a partir de US$12.550 o semestre.

O ano letivo nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos o ano letivo do High School começa entre agosto e setembro, terminando entre maio e junho. O semestre letivo dura cerca de quatro ou cinco meses e o ano letivo, nove ou dez meses. As instituições de ensino do país têm liberdade para definir o início das aulas, já o término geralmente é definido pela escola ou distrito e também por imprevistos durante o ano letivo, como por exemplo, os eventos naturais, como fortes nevascas que acabam ocasionando o fechamento das escolas e paralisação das aulas.

Grade curricular do High School nos Estados Unidos

O modelo de ensino nos EUA é muito flexível e isso faz com que os alunos tenham certa liberdade para escolher as disciplinas com as quais ele se identifique mais. Tende a ter uma estrutura mais completa, bem diferente da que vemos no Brasil, com diversas atividades esportivas, artísticas, sociais e científicas. Além de estudar matérias como antropologia, direito constitucional e astronomia, por exemplo.

Se ao estudar o High School nos EUA o aluno tiver o objetivo de facilitar o caminho para uma universidade americana, o correto é observar se a instituição escolhida tem exigência de disciplinas especificas, pois isso pode ajudar no processo futuro.

Com a possibilidade de os alunos escolherem as matérias especificas que tem mais interesse, as turmas acabam sendo menores, o que torna o aprendizado mais fácil, já que os professores conseguem oferecer mais atenção aos alunos, que acabam se tornando mais participativos nas aulas.

Outro ponto muito positivo do ensino americano são as viagens que acontecem com frequência, fazendo com que os alunos aprendam na prática o que veem em sala de aula.  As escolas americanas oferecem ainda aplicativos e sites que podem ajudar os estudantes na hora de se prepararem para o processo de application para as universidades.

Se eu cursar o High School nos EUA, eu perco o ano letivo no Brasil?

A resposta é não, já que é possível aproveitar as matérias estudadas nos Estados Unidos, para isso é necessário informar a Secretaria de Educação do Estado em que você mora. Há muitos jovens que preferem repetir a série no Brasil, para melhorar a preparação do vestibular, mas isso varia de cada pessoa.

Para validar no Brasil as matérias estudadas no exterior, o aluno deve protocolar uma solicitação em uma das unidades de atendimento da Secretaria da Educação de seu estado e apresentar os seguintes documentos:

Para estudante brasileiro:

  • Identidade constando o local do nascimento;
  • Histórico escolar do Brasil e caso tenha interrompido a última série cursada, ficha individual com registro de parte da série cursada;
  • Histórico escolar e Diploma (se houver) dos estudos realizados no exterior com a devida legalidade (“Apostila” ou Visto Consular);
  • Tradução feita por tradutor juramentado.

Para estudante estrangeiro:

  • Identidade do país de origem;
  • Histórico Escolar e Diploma (se houver) dos estudos realizados no exterior com a devida legalização (“Apostila” ou Visto Consular);
  • Tradução feita por tradutor juramentado;
  • Documentação pessoal de permanência legal no Brasil;
  • Comprovação de residência no Estado em que estiver morando.

O Ministério da Educação (MEC) determina que o aluno curse, obrigatoriamente, Matemática, Línguas (a local), Ciências (pode escolher entre Química, Física ou Biologia), Estudos Sociais (História, geografia ou alguma matéria similar) e Educação Física, para que os estudos possam valer no Brasil. Além das matérias obrigatórias, o estudante poderá escolher as matérias eletivas. O serviço de solicitação para validar as matérias é gratuito e pode levar cerca de 30 dias para ser finalizado.

Hospedagem durante os estudos nos Estados Unidos

Durante os estudos no High School nos Estados Unidos, o aluno normalmente fica na casa de famílias americanas voluntárias que são previamente selecionadas pela agência escolhida para ser responsável pelo intercâmbio. Nessa opção, chamada de “Homestay”, o estudante deverá, meses antes da viagem, preencher vários documentos, que deverão conter algumas informações sobre si próprio, sua família, os hábitos e outras informações especificas, esses documentos serão enviados para a família hospedeira.

Após esse processo, semanas antes do embarque o aluno deverá receber as informações e os contatos da família que irá hospedá-lo nos EUA, podendo fazer contato e ir conhecendo um pouco do ambiente onde vai morar e das pessoas que irão conviver com ele durante os meses de estudo no exterior.

Outra opção de acomodação é o “Sharehouse”, que atualmente tem sido muito procurada pelos intercambistas. Nessa opção, o estudante mora com outras pessoas que estão compartilhando da mesma situação e decidem dividir a casa ou apartamento. É possível pesquisar nas redes sociais diversos grupos e comunidades sobre essas moradias. O custo acaba sendo menor e este programa pode ainda oferecer o convívio com outras culturas e regiões, além de muito conhecimento e experiências diferentes.

Há ainda os alunos que optam pela acomodação no “Campus”, já que algumas escolas oferecem essa acomodação em suas próprias dependências. A opção é interessante para quem busca um bom custo benefício, mais autonomia e fluência da língua.

Quanto custa o High School nos Estados Unidos?

O custo para fazer um intercâmbio High School nos EUA pode variar bastante, de acordo com o programa escolhido, a agência responsável pelos trâmites legais e a escola em que o aluno vai estudar e o tempo em que ele ficará no exterior.

Geralmente, os programas de estudos saem a partir de 6 ou 7 mil dólares para um semestre e a partir de 11 ou 12 mil dólares o ano. Nesse valor costuma estar incluído a matrícula na escola, a moradia com uma família hospedeira pelo tempo escolhido, seguro saúde, reunião de orientação, transfer até a Host Family e suporte do programa de intercâmbio no exterior e no Brasil.

Vale lembrar que, normalmente, o valor cobrado pelas agências de intercâmbio no High School não inclui a passagem até os Estados Unidos e tudo que está relacionado à escola, como material, livros e uniformes, os almoços na escola e despesas pessoais, como os gastos com higiene pessoal, vestimenta e passeios pela cidade em que o aluno morar.

Veja também:

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo