VIDA NA AMERICA

6 coisas que você precisa saber antes de morar nos Estados Unidos

Morar nos Estados Unidos pode ser uma oportunidade única na vida de qualquer pessoa. Conviver com outros costumes, outra cultura e conhecer novas pessoas é uma experiência que muitos desejam viver. Mas independente do motivo que te leva a tentar o “sonho americano” há algumas coisas importantes que você deve saber antes de decidir morar nos Estados Unidos.

Tomar a decisão de se mudar e morar em um novo país muitas vezes pode ser uma escolha bem difícil. É preciso levar em consideração questões como a distância de familiares, dificuldades até conseguir um novo emprego, falar uma nova língua, entre outros. Por isso é importante colher o máximo de informações possível sobre o novo lugar que você deseja morar, desde detalhes mais simples até questões mais complexas.

Veja agora as dicas que preparamos sobre seis informações importantes que você precisa saber antes de decidir morar nos Estados Unidos:

  1. Como funciona o sistema de saúde dos Estados Unidos

Uma das coisas mais importantes a se considerar antes de morar em um novo lugar é sobre como funciona o sistema de saúde do país. Principalmente se você tem filhos, já que as crianças costumam precisar mais de acompanhamento médico do que os adultos.

Nos EUA o acesso à saúde é menor do que no Brasil, onde existe o SUS (Sistema Único de Saúde), porém existe sim um serviço público de saúde, além de outro serviço comumente chamado de semi-público e também o sistema privado. O sistema de saúde nos Estados Unidos possui os programas públicos chamados Medicare e o Medicaid e também os seguros saúde, conhecidos também como planos de saúde.

Medicare

O Medicare foi criado em 1966 e é destinado para as pessoas acima de 65 anos de idade e também para aqueles que possuem doenças e deficiências incapacitantes. Esse programa é custeado pela Previdência dos Estados Unidos, portanto para ter acesso ao Medicare, o cidadão americano ou imigrante precisa ter contribuído com o pagamento de impostos para a saúde durante os anos em que trabalhou no país. O programa se divide em quatro partes:

  • Parte A (Seguro Hospitalar): que garante atendimentos hospitalares, cuidados em centros de enfermagem especializados, cuidados paliativos e determinados cuidados em casa para todos os beneficiados.
  • Parte B (Seguro Médico): realiza a cobertura de serviços médicos, cuidados ambulatórios, suprimentos e serviços preventivos.
  • Parte C (Planos Medicare Advantage): nesta divisão não é o governo americano que paga pelos serviços. Os benefícios das partes A e B são oferecidos e custeados por uma empresa para seus funcionários.
  • Parte D (Cobertura de Medicamentos Prescritos): os planos são oferecidos por companhias privadas e empresas de seguro de saúde aprovadas pelo Medicare. Eles fazem a cobertura da compra de todos os medicamentos que tenham receita médica.

Medicaid

O Medicaid é voltado para a população de baixa renda, sem limite de idade. Esse programa de saúde é custeado pelo Governo Federal em parceria com o Governo dos estados. Há a exigência do Governo Federal para que os estados beneficiem as famílias com recursos financeiros limitados e crianças que recebem auxílio de segurança suplementar do Estado.

No programa Medicaid os hospitais e médicos que fornecem o tratamento para as pessoas que não tem condições de pagar pelas despesas hospitalares são reembolsados por essa parceria entre os Governos.

Sistema de saúde privado

Cada estado americano possui autonomia para criar suas próprias regras e leis. Isso faz com que a regulamentação e cobertura dos planos e convênios de saúde acabem variando de um estado para o outro. A forma mais utilizada para obter um plano de saúde no país é por meio de uma empresa que ofereça este beneficio para seus funcionários.

No entanto, uma grande parcela da população americana, incluindo os imigrantes, não são favorecidas com esse beneficio e também não tem condições financeiras de arcar com os custos de um plano de saúde.

Como funcionam os planos de saúde nos EUA?

Os planos de saúde americanos oferecem diversos tipos de planos e pacotes, com coberturas e valores diferentes. Os planos empresariais costumam ser mais baratos para os funcionários, porém é a empresa quem define todas as regras de cobertura. No caso dos planos individuais, a própria pessoa é quem opta pelo tipo de cobertura que deseja contratar, avaliando as regras e o orçamento.

Assim como no Brasil, as seguradoras cobram uma mensalidade fixa pelos planos empresariais e individuais. Serviços mais simples como um atendimento rápido no pronto-socorro, por exemplo, entra nessa cobertura. Para realizar procedimentos como exames, tratamentos, consultas médicas e outros serviços, geralmente é cobrado uma quantia extra. Quanto mais cara for essa mensalidade fixa, menos o usuário precisará pagar de valor extra quando utilizar determinados serviços.

Deductible e Out of Pocket Maximum

Além disso, na hora de contratar o plano de saúde, é necessário pagar a chamada “deductible”, que é o valor da franquia do seguro contratado. Nada mais é do que um substituto do período de “carência” que os planos brasileiros têm, por exemplo.  O Deductible é o valor mínimo necessário a ser pago para que o usuário comece a usufruir dos benefícios do seguro saúde.

O “Out of Pocket Maximum” é o valor máximo que o segurado poderá desembolsar por ano. Por exemplo, se o plano possui uma co-participação de 20% e um out of pocket maximum de US$4,000 e o usuário realizou um procedimento médico de US$25,000 ele irá desembolsar apenas o valor do out of pocket maximum e a seguradora precisará arcar com o valor restante.

No geral, a medicina praticada nos EUA é a curativa e não preventiva. Isso faz com que o Seguro Saúde cubra pacientes diagnosticados com alguma doença. Por esse motivo, tanto os americanos que não possuem plano de saúde quanto os que possuem acabam recorrendo ao tratamento médico apenas quando realmente estão doentes. Não tendo o costume de fazer os famosos “check ups” como muitos brasileiros tem o hábito de fazer anualmente.

  1. Aproveite o refil de bebida grátis

Na grande maioria dos restaurantes e fast foods dos Estados Unidos existe o famoso “free refil”. Nada mais é do que a livre exposição dos refrigerantes, onde você faz o pagamento no caixa, escolhe o tamanho do seu copo e você mesmo se serve, podendo repetir quantas vezes quiser a bebida. Há lugares em que chás, sucos e outras bebidas também costumam ter o “free refil”, basta se informar com algum funcionário.

Os parques de Orlando, como o famoso parque temático da Universal também costumam ter essa opção de refrigerante refil ou até mesmo de refil de pipoca. Basta comprar o tamanho e opção escolhida por determinado valor e depois fazer recargas com desconto em diversas estações disponíveis.

  1. Parada obrigatória para ônibus escolar

Nos Estados Unidos é muito importante seguir corretamente as regras de trânsito se você não quiser problemas com as autoridades. Quando envolvem crianças o assunto é levado mais a sério ainda. Uma informação muito importante que todo mundo precisa saber antes de dirigir pelas ruas americanas é sobre a parada obrigatória para os ônibus escolares. Aqueles ônibus amarelos que vemos principalmente nos filmes realmente existem e são utilizados no transporte dos alunos nos EUA.

Sempre que você estiver dirigindo no país e se deparar com o chamado School Bus fique atento. Pois sempre que ele estaciona, seja para pegar ou deixar algum aluno nas paradas, as luzes ficam piscando e uma placa com o escrito STOP abre na lateral do ônibus. Neste momento você sempre precisa parar também o seu carro, mesmo que tenha várias faixas e você esteja do lado oposto da rua.

Mesmo que as crianças não atravessem a rua naquele momento você também é obrigado a parar o carro. Essa parada obrigatória também acontece quando um carro de bombeiros ou ambulância passa com a sirene ligada.

  1. É proibido consumir bebida alcoólica na rua

Sempre que você estiver visitando um novo país é importante se informar sobre as regras do local. Ainda mais se pretender morar no local. Isso inclui procurar saber sobre as restrições que envolvem o consumo de bebida alcoólica. Vale lembrar que se a pessoa não seguir as regras e não respeitar as leis, isso pode resultar em uma multa ou até mesmo consequências mais graves. Veja algumas regras sobre o consumo de bebidas alcoólicas no país:

É proibido consumir bebida alcoólica nas ruas:

Na maioria das cidades dos EUA consumir álcool em lugar público, como ruas, parques e praias é proibido. Esta proibição é uma lei federal, portanto, se você estiver fora de casa sua latinha ou garrafa precisa estar coberta com um saquinho escuro (parecido com aqueles de pão). Quando você compra a bebida alcoólica em algum estabelecimento ela geralmente já estará coberta com o saquinho para você sair na rua;

Somente para maior de 21 anos:

Independente do estabelecimento que você estiver (bar, balada ou conveniência) a venda de bebidas alcoólicas só será permitida se você tiver mais de 21 anos de idade. Existem alguns lugares que mesmo permitindo a entrada de maiores de 18 anos, a proibição da venda de álcool se mantém. E geralmente a pessoa recebe algum tipo de marcação para os funcionários saberem que ela é menor de 21 anos;

Apresentação de algum documento:

Em grande parte dos estabelecimentos americanos é pedido a apresentação de algum documento na entrada. Em alguns lugares eles aceitam a CNH, mas na grande maioria, como balas e bares, por exemplo, eles aceitam apenas o passaporte (original);

Proibido beber e dirigir:

Beber bebida alcoólica e dirigir é extremamente proibido nos EUA, assim como no Brasil. Portanto, sempre que você consumir álcool procure utilizar um táxi ou veículo de aplicativo;

Permitido comprar bebida até às 2 da manhã:

Essa é uma regra que pode variar dependendo da cidade ou do estado. Em Orlando, por exemplo, a grande maioria dos estabelecimentos funcionam apenas até as 2 horas da manhã. Os lugares que permanecem abertos como o Wallmart e postos de gasolina são proibidos de vender bebidas alcoólicas após esse horário.

  1. Como funcionam os impostos nas compras

Sempre que você for comprar um produto ou alimento nos EUA, saiba que o valor final que você irá pagar não é o que aparece no cardápio ou na etiqueta. Ao chegar ao caixa, você terá incluído pelo atendente o preço dos impostos referente à sua compra. Os impostos variam de um estado para o outro, de 5 a 10% em relação ao produto consumido.

Nos EUA os impostos não são embutidos nos produtos, como é feito no Brasil. Uma vantagem é que o consumidor sempre vai ficar sabendo exatamente o valor do imposto que ele paga nos produtos que está consumindo. É uma ótima maneira também de conseguir cobrar os investimentos do Poder Público, já que todos sabem o quanto vai de imposto para o Estado.

  1. Não se esqueça da gorjeta

Nos EUA é muito comum dar gorjetas por um serviço prestado, como entregas, atendimento dos garçons em bares e restaurantes, carregador de malas em hotéis, motoristas em estacionamentos e etc. São as chamadas “Tips” e saiba que é considerado extremamente deselegante não pagá-las. O valor mínimo das gorjetas costuma variar de acordo com o lugar, o mais comum é de 10 a 20% para grupos menores de pessoas e 15 a 30% em grupos maiores.

Em alguns estabelecimentos o Tip já vem incluso na conta, com o nome de “service included”. Caso você veja esse nome não precisará pagar gorjeta além deste valor. É muito bem visto quando o cliente pagar uma quantia mais “gordinha” de Tip, já que a maioria dos funcionários espera receber apenas o valor mínimo.

Essas foram algumas curiosidades sobre os Estados Unidos, que todo mundo precisa saber antes de morar no país, ou até mesmo apenas para passear. Portanto, se for morar nos EUA pesquise sobre a cultura local e boa sorte!

VEJA TAMBÉM:

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo